quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

BOAS FESTAS

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Dawn Prince-Hughes


Dawn Prince-Hughes nasceu nos Estados Unidos da América em 1964. Antropoligista e primatóloga (estudo dos primatas) e etóloga (estudo do comportamento animal) com mestrado e doutoramento em Antropologia. Só em 1996 foi diagnosticada como autista de alto funcionamento (Asperger).
Escreveu o livro "Songs of the Gorilla Nation: My Journey through Autism."
“This is a book about autism. Specifically, it is about my autism, which is both like and unlike other people’s autism. But just as much, it is a story about how I emerged from the darkness of it into the beauty of it.”
“Este livro é acerca do autismo. Especificamente, é acerca do meu autismo, que é igualmente parecido ou não com o autismo das outras pessoas. Quanto muito, é uma história acerca de como eu saí da escuridão do autismo para a sua beleza.”
Frases do livro (colocadas no grupo autismo pelo Dr. Walter Camargo)
“Quando eu encontro com famílias de alguém que tem autismo e que ainda não lhe foi revelado o que tem - autismo, porque não querem rótulos, isso me deixa perturbada. Eu posso assegurar que não somente os autistas sabem que são diferentes, mas sofrem profundamente por não entender o motivo. Enquanto tentam se entender sem receber as informações necessárias, estão sendo rotulados pelas pessoas, usualmente sem compaixão e sem a educação que pode ajuda-los.
Eu não penso que o termo autismo seja percebido como um rótulo para eles, mas se não entendem o que acontecem não conseguem mudar. Por outro lado os autistas não se importam verdadeiramente como o que se pensa deles.
“Eu precisava comunicar com alguém, mas não sabia como!”
“Sons altos tb são incômodos para os gorilas.”

“Eu aprendi com os gorilas que buscar companhia quando se está mal é algo bom.”
“Eu precisava comunicar com alguém, mas não sabia como!”

“... eu estaria com alguém, não importa o quanto doesse...... Estamos todos em jaulas, cada uma de seu modo ...”

“Quanto mais eu aprendia sobre comunicação e relacionamento mais eu começava
a entender sobre emoções que até então eram coisas abstractas ...”
“Quando meu filho nasceu, eu fiquei emocionada, completamente "ocupada" com
meu amor por ele.”

sábado, 13 de dezembro de 2008

Dr. Almeida Gonçalves



O significado do que é o AUTISMO em Portugal e a existência das APPDA´s deve-se à persistência e incansável busca deste médico dermatologista, que abnegou muito do seu tempo e dinheiro para esta causa.
No final da década de sessenta do século passado, o Dr. Almeida Gonçalves tentou, em vão, junto dos especialistas portugueses, encontrar uma explicação convincente para o comportamento do seu filho Luís, então um menino.
Inconformado, partiu para Inglaterra na expectativa de saber algo mais sobre o que tinha o Luís. Ficou a saber que ele “era autista”. Disseram-lhe o que isso significava. Pensou no futuro dos meninos como o dele que, certamente, existiriam em Portugal e foi o impulsionador da Associação Portuguesa para Protecção à Criança Autista, posteriormente Associação Portuguesa para a Protecção aos Deficientes Autistas e actualmente às várias Associação Portuguesa para as Perturbações do Desenvolvimento e Autismo.
Com o contacto estabelecido com Lorna Wing, e posteriormente as suas orientações, forneceu à classe médica da altura toda a informação que 20 anos antes Kanner já tinha descoberto.

O trabalho inicial do Dr. Almeida Gonçalves está hoje disseminado por todo o país. Soubemos, e desejamos todo o sucesso, que vai aparecer a APPDA - Alentejo e a APPDA - Sintra.

A APPDA - Norte ofereceu uma pintura de uma árvore que tem na base a APPCA, no tronco a APPDA e nos ramos as várias APPDA's encimada pela Federação Portuguesa de Autismo.

Bem Haja Dr. Almeida Gonçalves.

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

II Jantar de Beneficência

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Venda de Natal




Começou ontem a funcionar a nossa venda de Natal.

Fica situada na R. Duque da Terceira, 179 - Porto (Transversal da V. Rodrigues de Freitas para o lado de Agramonte e perto do Metro - Campo 24 Agosto ou Heroísmo).

Funciona de Segunda a Sábado entre as 10h30m e as 18h30m e ao Domingo entre as 15h e as 18h.
Venha fazer as suas compras pois temos artigos interessantes.

Contamos consigo.

"Ana e a Bolinha de Sabão"



No Sábado passado (22/11) a Helena veio contar a História da "Ana e a bolinha de sabão". Cerca de duas dezenas de crianças, na sua maioria com autismo, foram espectadores atentos da história, da magia e acima de tudo quando apareceram as bolas de sabão.

Luciano Piziconi


Na semaa passada, o nosso associado Alcindo André trouxe um ilustre italiano a visitar a nossa Associação.
Luciano Piziconi, ensaísta, poeta, filósofo e reconhecido no seu envolvimento solidário, mecenas cultural e actividade educativa.
Fundador do Projecto Athanòr

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

II Jantar de Beneficência


Data: 3 de Dezembro (Dia Internacional da Pessoa com Deficiência)
Local: Hotel AC Porto – Rua Jaime Brasil nº 40 – Porto
Hora: 20.00h
Menu:



Perna de Porco com molho de Maça
Bacalhau com Natas



OPÇÕES VEGETARIANO PARA SUBSITUIÇÃO DE CARNE OU PEIXE:

Courgette no Forno Ou Penne ao Basílico Ou Spagheti de Legumes


Preço por adulto: €30.00
Crianças dos 0 aos 4 anos: grátis
Crianças dos 5 aos 10 anos: €15,00
A partir dos 11 anos: preço de adulto


As reservas serão consideradas por ordem de chegada junto da Secretaria e só serão consideradas contra o efectivo pagamento.


Cumprimentos,
A Direcção

APOIO - Hotel AC Porto

Venda de Natal

Convite

A APPDA-Norte, Associação Portuguesa para as Perturbações do Desenvolvimento e Autismo vem convidar V.Ex.a a estar presente na Inauguração do nosso espaço de Venda de Natal, sita na Rua Duque da Terceira, n.º 179, na freguesia do Bonfim, no Porto, no dia 25 de Novembro pelas 15 horas, a qual será brindada com um Porto de Honra.

Vila Nova de Gaia, 19 de Novembro de 2008
A Direcção

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

A Caixa


“O que eu pretendo mostrar-vos é a minha perspectiva por “dentro do autismo” de uma pessoa autista à procura do resto do mundo.

Montando o palco: Imagina, se quiseres, uma caixa com 60 cm de comprimento, 90 de largura e 2 metros de altura. A caixa é feita de um qualquer material transparente inquebrável.

Agora mete-te na caixa e ela vai ser selada de forma a que, por muito que tentes, não vais conseguir partir ou sair da caixa. Estás a viver no mundo autista. Tudo (para ti) está dentro da caixa. Todo o demais está ali, fora da caixa.

Passam-se uns minutos. Começas a ficar rabugento. “Quero sair daqui. Alguém me ajuda, por favor? Não aguento mais ficar aqui.” Passou meia hora. Começas a entrar em pânico.

Finalmente alguém entra na sala. Vê-te, mas não consegue ver a caixa à tua volta. Tentas atrair a atenção daquela pessoa, mas não consegues falar, não consegues mover-te, e nem pensar consegues.

Agora imagina viver dentro desta caixa não uma hora, nem mesmo um dia ou um ano mas “sempre” numa continuada, lenta e claustrofóbica frustração. Bem vindo ao mundo do autismo! “ Frank George – adulto autista (tradução livre do Inglês)

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

III Bienal de Autismo



Realizou-se nos passados dias 24 e 25 a III Bienal de Autismo.
O tema estava centrado nas necessidades das famílias de pessoas com perturbações do espectro autista.

Na cerimónia de abertura intervieram o Dr. Fernando Campilho ( Presidente da Direcção da APPDA – Norte e Vice Presidente da comissão executiva da Federação Portuguesa de Autismo ) o Dr. Luís Vale (em representação do Centro Distrital de Segurança Social do Porto) e a Dra. Olívia Rito ( em representação do Município de Gaia).

Iniciaram-se os trabalhos com a apresentação da Professora Dra. Paula Freitas com o tema “Autismo e ciclo de vida”. “Torna-se necessário analisar as consequências de um diagnóstico de largo espectro, de um diagnóstico mais precoce e de intervenções mais precoces e melhor talhadas em função das características específicas de cada criança, na melhoria do prognóstico, nomeadamente, do nível funcional e capacidade de integração social das pessoas com Perturbações do Espectro do Autismo” , alertando para que “os perfis desenvolvimentais das crianças com PEA são muito diversificados e nas situações precocemente diagnosticadas esta diversidade tende a ser ainda maior.” Também é necessário “alertar para a importância de manter posturas equilibradas no desenvolvimento de uma ampla gama de serviços, evitando que a identificação das novas necessidades não nos leve a esquecer as antigas. A atribuição de recursos para o desenvolvimento de serviços capazes de responder às necessidades das crianças com melhor evolução emocional, cognitiva e social deve merecer a mesma atenção que a organização do apoio às crianças com evoluções mais deficitárias.” É preciso compreender que “um amplo espectro de situações corresponde a uma ampla gama de necessidades e exige um amplo espectro de serviços”.
No ciclo de vida da família à que ter em conta que quando nasce uma criança diferente, “a família une-se na procura de soluções para este novo desafio ou, por vezes não conseguindo fazer-lhes face, desagrega-se, deixando mais desamparados o/os cuidadores principais e a própria criança.
Mais problemática será a escassez dos recursos disponíveis, a inexistência de respostas adequadas às necessidades das crianças e das famílias, por múltiplas razões, nomeadamente, falta de serviços e de pessoal qualificado, incompatibilidades que advêm dos horários de funcionamento e períodos de férias dos equipamentos existentes. Os infantários, ou as actividades extracurriculares que não têm vagas, ou deixam de ter, no momento em que sabem tratar-se de uma criança diferente!
Mas nem sempre existe apenas uma criança diferente. Existem outros filhos. Como repartir as atenções? Quais as questões que se levantam aos pais, quais as questões que se levantam aos irmãos?
Como reagem os outros irmãos face a este que é diferente, que não sabe brincar, que estraga ou ignora os brinquedos, que grita, que mobiliza ou monopoliza a atenção dos pais...?
Que dirão ou farão os amigos da escola face a este irmão diferente? Afastam-se? Apoiam e até admiram a capacidade que demonstramos quando conseguimos entendê-lo e integrá-lo nas brincadeiras?”

O Dr. Cipriano Jimenez da Fundação Menela, em Vigo, veio alertar que “ as pessoas com autismo podem a qualquer momento padecer e sofrer de todo o tipo de doenças físicas que condicionem, se não são diagnosticadas e tratadas, a sua situação pessoal e de comportamento, o que acarreta uma distorção da sua qualidade de vida”. O diagnóstico de uma doença, para o conjunto de pessoas com autismo, pode implicar sérias dificuldades pela impossibilidade de comunicação dos sintomas, quer à sua família como às pessoas que cuidam deles.” Assim veio propor um conjunto de procedimentos que contemple a “necessidade de sensibilizar e reclamar das autoridades de saúde, educativas e sociais” um melhor entendimento, e portanto um melhor atendimento , às pessoas com perturbações do espectro autista.

A Professora Dra. Ana Serrano apresentou o tema: “A Família na Intervenção Precoce: A evolução para uma prática centrada na família.”
“Um dos mais importantes legados da fase inicial da investigação em Intervenção Precoce (IP), foi o reconhecimento de que a família constitui um foco essencial para a intervenção com crianças em risco ou com Necessidades Especiais (NE) ... Em Portugal o momento desse reconhecimento encontra-se reflectido no normativo legal de IP, o Despacho Conjunto 891/99 de 19 de Outubro. Esta alteração de fundo passa assim a ser exigida pela legislação e determina que os pais se tornem participantes activos no processo de intervenção da criança. Os pais tornam-se mediadores e parceiros na prestação de serviços de IP para os seus filhos. Esta focagem alargada sobre qual deve ser o alvo de intervenção no processo de IP, é um processo contínuo pela descoberta de importantes variáveis que influenciam o desenvolvimento da criança.”

A Dra. Susana Aires Pereira apresentou o tema: “O Diagnóstico de PEA e o seu Impacto na Família”.
Enunciou os problemas existentes na detecção precoce do autismo e que a família é a primeira a desconfiar que algo diferente se passa: “De facto, na maioria dos casos, são os pais os primeiros a detectar que existe um problema, preocupando-se geralmente pela existência de um “atraso da linguagem”. Contudo, outros sinais de autismo estão presentes na maioria dos casos ainda antes dos 18 meses de idade. Estes sinais são subtis e podem passar despercebidos aos pais e profissionais que lidam com as crianças, se não existir um alto nível de suspeição.”
“Estudos realizados na ultimas décadas apontavam para a existência de padrões de stress mais elevados nas famílias de crianças “com autismo”, do que em famílias que possuem um filho com desenvolvimento típico ou outras perturbações do desenvolvimento, sugerindo-se que esse stress parecia ser influenciado pelas características típicas do autismo (grau de dependência, incapacidades cognitivas, características do comportamento da criança). No entanto, estudos mais recentes têm vindo a apontar noutro sentido: o impacto das dificuldades próprias do síndrome sobre os pais irá depender de uma complexa interacção entre a gravidade das características da criança e as da personalidade dos pais, qualidade das relações intra e extra familiares, bem como das disponibilidades de recursos comunitários e sociais. Mecanismos de resiliência e estratégias compensatórias para manter a estabilidade familiar, parecem emergir nestas famílias submetidas a índices de stress mais elevados, representando um papel significativo a rede de apoios circundante. Simultaneamente, a adaptação familiar ao problema não parece ser linear e progressiva mas sim ocorrer em “picos” à medida que, com o crescimento da criança, novos problemas surgem exigindo à família a renegociação desses desafios.”

O Dr. João Teixeira fez um apresentação do Centro de Estudos e Apoio à Criança e à Família, valência da APPDA –Norte que apoia crianças até 6 anos de idade em intervenção precoce e o projecto do Grupo de Autonomia e Socialização em Contexto para crianças com idades compreendidas entre os 7 e os 16 anos.

A Dra. Sónia Perez apresentou o tema: “Serviços de Apoio à Família - A experiência do Centro Residencial Castro Navas”. A comunicação estava alicerçada na experiência do centro residencial de Castro Navas (Pontevedra) nomeadamente no significado atribuído às palavras apoio e família.

O Dr. Herculano Castro esteve a falar sobre qualidade de vida em pessoas com perturbações do espectro autista exemplificando com a prática desenvolvida da APPDA – Norte com o grupo D.

A fechar as comunicações tivemos a história de vida da Ana Maria Gonçalves e da Maria do Céu Guedes, ambas mães de pessoas com autismo.

No encerramento do III Bienal esteve o Sr. Vereador da Acção Social do Município de Gaia, Dr. Guilherme Aguiar.

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Surf's Up

Mais um dia de grande adrenalina para alguns elementos do CAO. Em parceria com a escola de Surf "Surfing Life Club"(www.surfinglifeclub.com), o CAO foi "apanhar" umas ondas na praia de Matosinhos. Depois de um grande esforço para vestir os fatos, lá fomos nós para a água onde aprendemos o básico para nos tornarmos grandes surfistas. Foi um dia cheio de actividade e de boa disposição, onde o grande problema foi mesmo sair da água. Uma experiência que esperamos voltar a repetir rapidamente, pois as saudades das ondas já são muitas.
video

sexta-feira, 19 de setembro de 2008

III Bienal de Autismo


A APPDA – Norte vai realizar a sua III Bienal de Autismo a 24 e 25 de Outubro subordinada ao tema “As necessidades das famílias de pessoas com perturbações do espectro autista. Diferentes perspectivas de intervenção”.
No dia 24 e no Auditório da Assembleia Municipal de Vila Nova de Gaia serão apresentadas várias comunicações que ajudem aos trabalhos do dia seguinte. Na manhã do dia 25 de Outubro, e na sede da APPDA – Norte, serão formados grupos de discussão e reflexão
Vimos por este meio enviar a V. Exca. o folheto com o programa e ficha de inscrição, em anexo, agradecendo desde já a sua divulgação. Pode efectuar a sua inscrição remetendo-nos o destacável (pode fotocopiar), quer por correio, fax ou enviar os dados do mesmo por correio electrónico para o endereço bienal@appda-norte.org.pt .
As inscrições serão consideradas por ordem de chegada somente após o pagamento da mesma e para o qual pode utilizar a transferência por multibanco.
Qualquer informação adicional pode contactar a Dra. Daniela Sousa / D. Deolinda Reis pelo telefone 227 169 550 ou para bienal@appda-norte.org.pt

Com os nossos melhores cumprimentos,

A Organização da III Bienal

Folheto em http://appda-norte.org.pt/folder.2008-02-01.1986652314/

Actividades de Verão

Como é tradição da APPDA-Norte anualmente o Centro de Actividades Ocupacionais (CAO) organiza um programa especifico para esta estação do ano, de cariz mais lúdico, onde procuramos dar aos nossos clientes a oportunidade de vivenciar novas experiências e sensações.
Este ano para não fugir à regra, as actividades tiveram uma grande aceitação por parte dos intervenientes que demonstraram que estão sempre prontos para novas aventuras e diversão como comprovam as imagens apresentadas (praia, caminhadas, festas, sessões de cinema, passeios de transportes públicos, idas à Feira Medieval e ao Estádio do Dragão, actividades desportivas, etc.)

quarta-feira, 16 de julho de 2008

GASC - 2008 - "Descoberta, Aventura, Aprendizagem"

O GASC - Grupos de Autonomia e Socialização em Contexto - é uma estratégia de intervenção para crianças e jovens com perturbações do espectro do autismo, com idade entre os 6 e os 16 anos.
Tem como principais objectivos promover e desenvolver competências sociais e relacionais de modo a que os jovens experienciem uma autonomia e funcionalidade crescentes na concretização das actividades do quotidiano e, deste modo, contribuir para melhorar significativamente a qualidade de vida dos seus utentes. O trabalho no GASC procura providenciar e respeitar o direito à privacidade, ao poder de decisão, à participação nos diferentes serviços e recursos da comunidade, à amizade e lazer e, acima de tudo, ao relacionamento humano diversificado.

terça-feira, 1 de julho de 2008

Oliver Sacks


http://www.oliversacks.com/


” O autismo, embora possa ser visto como uma condição médica, também deve ser encarado como um modo de ser completo, uma forma de identidade profundamente diferente”
Oliver Sacks


Oliver Sacks, neurologista nasceu em 1933 e tem vários livros sobre os seus pacientes. O mais conhecido, que foi adaptado ao cinema, foi “Awaknings” e relata a sua passagem por um hospital no qual existia um grupo de pessoas num estado tipo estátua (congelados), alguns à décadas. Reconheceu-os como sobreviventes duma pandemia da “doença do sono” e tratou-os com uma droga experimental que os trouxe de volta “à vida”.
O último conto do livro, chama-se "Um antropólogo em Marte", e é sobre uma autista, Ph.D. em ciência animal, professora da Colorado State University. Apesar das adversidades, ela tornou-se uma importante autoridade mundial em sua área de actuação profissional. Curiosamente, a linguagem técnica era muito mais acessível a essa pesquisadora do que a linguagem social, o que permitiu que ela se adaptasse à vida fazendo ciência. A ciência a medicou, ao mesmo tempo que se tornou o seu refúgio. Durante toda sua vida, ela dizia que se sentia como um "antropólogo em Marte". Provavelmente, essa deve ser uma sensação compartilhada por muitas outras pessoas com distúrbios neurológicos.

O livro de Sacks vale a pena. Nesse livro, o estilo dos contos de Sacks pode ser explicado por uma frase do médico escritor: "Mas, para voltar ao ponto de partida, todos os estudos clínicos, por maior que seja o empreendimento, por mais profunda que seja a investigação, devem retornar aos casos concretos, aos indivíduos que os inspiraram e sobre quem eles discorrem".

Trecho do conto "Um Antropólogo em Marte"

"Que a disposição para o autismo seja biológica é algo que não está mais em questão, nem as provas cada vez maiores de que ele seja, em alguns casos, genético. Geneticamente, o autismo é heterogêneo - por vezes dominante, por outras recessivo. Ele é mais comum nos homens. A forma genética pode ser associada, no indivíduo ou na família afectada, a outros distúrbios genéticos como dislexia, distúrbios de déficit de atenção, distúrbio obsessivo-compulsivo ou síndrome de Tourette. Mas o autismo também pode ser adquirido, o que foi percebido pela primeira vez nos anos 60, com a epidemia da rubéola, quando um grande número de bebês acabaram desenvolvendo-o . Ainda não se sabe se as chamadas formas regressivas do autismo - por vezes com perdas abruptas da linguagem e comportamento social em crianças entre os dois e quatro anos que anteriormente vinham se desenvolvendo de uma forma relativamente normal- são causadas geneticamente ou pelo meio. (...)

E, no entanto, os pais de uma criança autista que vêem seu filho retrocedendo em relação a eles, ficando distante, inacessível, sem reacções, podem continuar inclinado a assumir a culpa. Podem ver-se lutando para se relacionar e amar uma criança que, aparentemente, não lhes corresponde. Podem fazer esforços sobre-humanos para alcançar, agarrar uma criança que vive num mundo inimaginável e alheio; e ainda assim todos os seus esforços podem parecer vãos"

sexta-feira, 27 de junho de 2008

Actividades CEACF - Julho


Actividades Mês-Aberto CEACF

2ª Feira 30/06- 14.00 – Jogos na Praia
3ª Feira 01/07- 9.00 – Visita Serralves
4ª Feira 02/07- 13.45 – Visita ao Planetário
5ª Feira 03/07- 9.00- Atelier Artes Plásticas (APPDA-Norte)

2ª Feira 7/07- 14.00 – (Sob confirmação) Oficinas Palácio Cristal ou Atelier Culinária (APPDA-Norte)
3ª Feira 8/07- 9.00 – Atelier culinária (APPDA-Norte)
4ª Feira 9/07- 14.00- Hipismo + Lanche APPDA-Norte
5ª Feira 10/07- 9.00- Visita ao Planetário + Lanche APPDA-Norte

Notas:
A participação nas actividades requer o pagamento de uma multa de 5 euros.
A visita de dia 2/07 requer a presença na APPDA-Norte mais cedo do que a hora normalmente prevista porque a visita no Planetário inicia, impreterivelmente, às 14.15, pelo que fomos aconselhados a comparecer no local 15 minutos antes do seu início.

João Teixeira
O Coordenador de Equipa CEACF
27/06/2008

Formação em Vila Verde


A pedido do Agrupamento de Escolas da Ribeira do Neiva (Vila Verde) e com vista à integração de uma criança com PEA no 2º ciclo, promovemos uma acção de formação na referida escola de modo a proporcionar uma melhor compreensão do autismo aos professores e auxiliares.
25/6/08

sexta-feira, 20 de junho de 2008

Colónia de Férias Apúlia 2008 - Residências

Com o tempinho a aquecer, nada melhor que uma Colónia para espairecer....


sexta-feira, 6 de junho de 2008

Reunião com Agrupamentos de Vila Nova de Gaia



A APPDA - Norte realizou ontem um encontro com 11 dos 15 agrupamentos escolares de Vila Nova de Gaia com vista ao futuro funcionamento como Centro de Recuros para a Inclusão. Da reunião constou uma breve apresentação dos serviços que neste momento são disponibilizados pela Associação e um levantamento das necessidades dos agrupamentos no apoio a crianças e jovens com perturbações do desencolvimento do espectro autista.
A reunião terminou com uma visita às instalações.

sábado, 31 de maio de 2008

Jim Sinclair

Jim Sinclair is an autism rights activist who, together with fellow autistics, Kathy Lissner Grant and Donna Williams, formed Autism Network International in 1992. Being the only one of the three with an internet connection, Sinclair became the original coordinator of ANI. Sinclair did not speak until age 12.[1]

(Jim Sinclair é um activista dos direitos dos autistas que, em conjunto com outros autistas, Kathy Lissner Grant e Donna Williams, constituiram a "Autism Network International"(ANI) em 1992. Sendo o único dos três com ligação à Intenet, Sinclair tornou-se o único coordenador da ANI. Sinclair, autista, não falou até aos 12 anos.)

Sinclair wrote "Don't Mourn for Us", as essay with an anti-cure perspective on autism,[2]. Don't Mourn for Us serves as a touchstone for a fledgling movement.[1] Sinclair was featured in the book Somebody Somewhere by Donna Williams, which covers the formation of ANI.

(Sinclair escreveu "Don't Mourn for Us" (Não façam luto por nós),um ensaio numa perspectiva anti cura do autismo que serviu de pedra de base a um movimento de principiantes. Sinclair vem descrito no livro de Donna Williams, "Somebody Somewhere", que descreve o aparecimento da ANI.)


Página pessoal de Jim Sinclair http://web.syr.edu/~jisincla/index.html

quinta-feira, 1 de maio de 2008

Daniel Tammet

Daniel Paul Tammet (n. Londres, 31 de Janeiro de 1979), é um inglês que sofre da Síndrome de Savant.

Daniel Tammet tem capacidades especiais na memorização de números e grande facilidade na aprendizagem de línguas.

Foi capaz de dizer 22.514 dígitos de Pi e de aprender a falar islandês numa semana. Actualmente fala sete línguas diferentes.

Escreveu o livro "Born on a Blue Day" (Nascido num dia azul). ISBN 978-972-8929-72-5

No Youtube - http://www.youtube.com/watch?v=AbASOcqc1Ss&feature=related

segunda-feira, 28 de abril de 2008

Livro - "O Mundo da Criança com Autismo"

Exmos. Senhores,

A Porto Editora têm o prazer de convidar V. Exa. para os Encontros de Educação “O Mundo da Criança com Autismo” que irão decorrer nos seguintes dias:

· 12 de Maio – Escola Superior de Educação de Coimbra – COIMBRA

· 13 de Maio – Universidade do Minho – BRAGA

· 14 de Maio – Ipanema Park Hotel - PORTO

Este encontro tem como objectivo abordar questões que se prendem com a compreensão do diagnóstico de autismo, com os tratamentos disponíveis e com a forma de decidir o que é melhor para uma dada criança com autismo ou com perturbação global do desenvolvimento. Serão ainda debatidos problemas relacionados com o desenvolvimento de competências de vida, orientações para seleccionar e conceber a escolaridade, integração na educação regular e construção de relações eficazes entre pais e professores.

O programa do encontro será inteiramente preenchido pela Professora Bryna Siegel, autora do livro O Mundo da Criança com Autismo. A professora Bryna Siegel é uma das mais eminentes especialistas nesta área, tendo desenvolvido projectos de investigação para ajudar não só as crianças a “aprenderem a aprender”, mas também para apoiar os respectivos pais a usarem e a avaliarem os serviços integrados casa e escola. Tem dirigido inúmeras palestras, quer nacionalmente, nos Estados Unidos da América, quer a nível internacional.

A sua presença é, pois, indispensável. Contamos consigo!

Por favor, confirme a sua presença até o dia 09 de Maio de 2008, através do telefone 22 608 83 20 ou do e-mail smedon@portoeditora.pt

Notas importantes:
Inscrição: 30€ (inclui a oferta do livro O Mundo da Criança com Autismo, cujo PVP é de 37,50 Æ).

A intervenção da Professora Bryna Siegel será em inglês com tradução assíncrona para português.

As inscrições estão limitadas à capacidade das instalações. No final da sessão será atribuído um certificado de presença.

Sara Medon

Departamento de Marketing
_____________________________________________________________________

PORTO EDITORA

Rua da Restauração, 365 * 4099-023 PORTO * PORTUGAL

Tel.: +351 22 6088320 * Fax: +351 22 6088301

smedon@portoeditora.pt

Visite o novo sítio da Ideias de Ler

Uma chancela do Grupo Porto Editora

domingo, 13 de abril de 2008

Ivar Lovaas


Saiba mais sobre o Dr. Lovaas e a sua metodologia de intervenção no autismo em http://www.lovaas.com/

terça-feira, 1 de abril de 2008

Higiene e Segurança Alimentar em restauração

Nome do curso: Higiene e Segurança Alimentar em Restauração Colectiva
Data: 5 de Abril de 2008
Local de realização: Sala de formação - APPDA - Norte
Total de horas: 3 (10-13h)
População-alvo: Encarregados de Educação, Cozinheiras, Ajudantes de Cozinha e Monitores
Formador Cláudia Herdeiro e Sónia Mendes
Objectivos:
- Assimilar os conceitos inerentes à Certificação de Qualidade e Ambiente;
- Interiorizar e compreender os procedimentos gerais e específicos inerentes à implementação de sistemas de Segurança Alimentar.
- Dotar os colaboradores de conhecimentos relativos ao Sistema HACCP.

CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS:
Módulo 1 – Enquadramento e apresentação
1.1. Apresentação
1.2. Objectivos
1.3. Conteúdos programáticos
1.4. Apresentação e Organização do ITAU
1.5. Certificação do Sistema de Gestão da Qualidade e Ambiente
1.6. Política da Qualidade e Ambiente

Módulo 2 – Higiene e Segurança Alimentar

2.1. Higiene pessoal
2.2. Higiene das instalações, equipamentos e utensílios
2.3. Recepção e armazenagem de matérias-primas
2.4. Preparação de alimentos
2.5. Confecção e distribuição
2.6. Distribuição de Alimentos

Módulo 3 – Noções Básicas de Alimentação e Nutrição Humana

3.1. Composição dos alimentos
3.2. A Nova Roda dos Alimentos
3.3. Regras para uma Alimentação Saudável

Pré inscrição na Secretaria

terça-feira, 18 de março de 2008

II CURSO - “A Qualidade de Vida em Pessoas com Perturbações do Espectro do Autismo”

Estrutura e Conteúdos

Enquadramento Teórico

A existência de um número cada vez maior de pessoas com Perturbações do Espectro do Autismo institucionalizadas ou isoladas em contexto familiar, torna cada vez mais importante o desenvolvimento de estratégias adequadas à promoção da qualidade de vida deste tipo de populações.
Na sequência do primeiro, este II Curso manterá a sua vertente eminentemente prática, com vista a dotar técnicos, familiares ou interessados nesta área, com recursos que lhes permitam promover activamente uma melhoria significativa na qualidade de vida de pessoas com PEA.

Estrutura

• Formação com 40 horas de duração, distribuídas por 10 módulos de 4 horas cada.
• Avaliação global final com entrega de certificado de presença no curso.

Datas:

• Início: 19 de Abril 2008
• Final: 21 de Junho 2008

Cronograma

Dias 19/04
Sábado 26/04
Sábado 03/05
Sábado 10/05
Sábado 17/05
Sábado 24/05
Sábado 31/05
Sábado 07/06
Sábado 14/06
Sábado 21/06
Sábado
Horário 9h-13h 9h-13h 9h-13h 9h-13h 9h-13h 9h-13h 9h-13h 9h-13h 9h-13h 9h-13h
Módulos Mod 1 Mod 2 Mod 3 Mod 4.1 Mod 4.2 Mod 5.1 Mod 5.2 Mod 6 Mod 7 Mod 8

Destinatários

• Professores
• Educadores
• Psicólogos
• Terapeutas
• Técnicos da área
• Estudantes
• Família

Local

• Instalações da APPDA Norte
• Rua D. Carlos I, nº 110
4430 — 258 Vila Nova de Gaia

Formadores

• Professora Doutora Maria Adília Silva Gabinete de Actividade Física Adaptada da Faculdade de Desporto da Universidade do Porto (FADE UP)
• Natália Maria Marques Correia, Professora de Educação Física, Mestre em Actividade Física Adaptada pela FADE UP
• Herculano Ferreira Moura de Castro, APPDA-Norte, licenciado em Ciências da Educação pela Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da UP
• Helena Faria, licenciada em Enfermagem

Preço
• 130 Euros a pronto pagamento
• 70 Euros x 2 prestações
• 50 Euros x 3 prestações

• Condições especiais para sócios da APPDA Norte e alunos da FADE UP:
o 100 Euros a pronto pagamento
o 55 Euros x 2 prestações
o 40 Euros x 3 prestações

Inscrições limitadas a 20 formandos


Conteúdos Programáticos

Módulo 1

Enquadramento histórico da deficiência, no mundo e em Portugal.
Actividade física adaptada.

Módulo 2

Enquadramento histórico do autismo, no mundo e em Portugal.
As perturbações do espectro do autismo:
• Etiologia
• Causas
• Epidemiologia
• Prevalência
• Diagnóstico

Módulo 3

Qualidade de vida.
Comorbilidades das perturbações do espectro do autismo.
Cuidados de saúde básicos adaptados à patologia.

Módulo 4

Autonomia funcional e qualidade de vida.

4.1. O Currículo Funcional Natural (CFN)
A filosofia do CFN
A construção do CFN

4.2. A aplicação do CFN
A avaliação no CFN
Apresentação e discussão de casos

Módulo 5

Corpo e qualidade de vida

5.1. Desenvolvimento motor
Aprendizagem e controlo motor
Capacidades coordenativas
Coordenação óculo manual
Coordenação óculo pedal
Coordenação dinâmica geral
Equilíbrio
Lateralidade

5.2. Apresentação e discussão de casos

Módulo 6

Competências académicas e qualidade de vida.
As necessidades curriculares especiais das pessoas com PEA
A importância do projecto de vida.
O desenvolvimento global da pessoa com PEA.
Desenvolvimento de estratégias

Módulo 7

Da escola para o trabalho
A transição dos jovens com PEA para a vida adulta
Perspectivas e oportunidades de integração no mundo do trabalho.
As famílias
Os irmãos de pessoas com PEA
Autismo e envelhecimento

Módulo 8

Avaliação global do curso
Entrega dos certificados de participação

segunda-feira, 17 de março de 2008

domingo, 9 de março de 2008

Corrida e Caminhada do dia do Pai



Sucesso - Sucesso - Sucesso - Sucesso - Sucesso - Sucesso - Sucesso - Sucesso -
Foi um mar de gente que participou na corrida e caminhada do dia do Pai. Mais de 15.000 pessoas estavam inscritas. Entre a partida da corrida e os últimos da caminhada passaram-se 20 minutos.

A nossa "task force" das caminhadas esteve presente e portou-se lindamente.

Gratos à Run Porto na pessoa do Sr. Jorge Teixeira, à Aurora Cunha, à Sport Zone e a todos que se inscreveram e participaram nesta corrida e caminhada do dia do pai.

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

O Pedro na Equitação





A Equitação é uma terapia com póneis. Desta vez o Pedro Osório participou na actividade, esteve deitado em cima do pónei, aqui têm as fotos desse dia tiradas por mim.

André Ribeiro

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

In Between na APPDA - N


Ontem tivemos a visita à nossa Instituição dos alunos do Colégio do Sardão que participam no projecto In Between (www.inbetween.blogs.sapo.pt)

domingo, 17 de fevereiro de 2008

9 de Março - Corrida comemorativa do dia do Pai



Caros Amigos,

No próximo dia 9 de Março vai-se realizar mais uma coriida e caminhada comemorativa do dia dia do Pai na cidade de Porto.

Para participar podem inscrever-se on line no site da RunPorto (www.runporto.com). A Sport Zon e a APPDA - Norte tem folhetos de inscrição e recolhem as inscrições.

A inscrição custa € 0,50. Por cada inscrição efectivamente paga a Sport Zone juntará outros € 0,50 e assim € 1 por pessoa inscrita reverterá para a APPDA - Norte.

Vamos lá a ajudar, quer inscrevendo-se quer divulgando.

(Foto da nossa participação no ano passado)

Cumprimentos

Convívio de Pais





A convite da Direcção, realizou-se ontem um encontro/confraternização com os pais dos utentes da Instituição. Visitou-se as instalações, fez-se uma apresentação das necessidades financeiras da Instituição, dos valores angariados em 2007, fruto da colaboração de todos, dos valores dos peditórios por família, das actividades para este ano - especial destaque para a corrida do dia do Pai a 9 de Março - destacou-se os que colaboraram mais directamente, nunca esquecendo os que anónimamente dão o seu contributo. Terminou-se com um lanche.

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2008

"Festa Beaction/Beeplan"



As residências participaram na festa promovida pela empresa Beaction/Beeplan. Foi uma tarde repleta de experiências diferentes... Até tivemos a companhia do Charlie Brown, do Snoopy e do Shrek.

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2008

"A Tribo APPDA"

As residências vestiram-se a rigor para celebrar mais um carnaval... sempre com muita música, alegria e boa-disposição.

quarta-feira, 23 de janeiro de 2008

Caminhada na Serra da Freita





Já não íamos à serra há algumas semanas, muito por causa do tempo que tem feito... Já tínhamos saudades da serra (se calhar a serra também teve saudades nossas). Hoje, com sol e calor, foi o grande dia! O dia do regresso à serra! Subimos na carrinha à Senhora da Mó, o monte mais próximo de Arouca, para efectuar a descida até à cidade. Correu tudo bem, uma descida acentuada que estimulou os sentidos e obrigou a pensar em coisas que diariamente não estamos habituados a pensar nelas, como por exemplo como caminhar... Na serra é preciso pensarmos onde colocar os pés e escolher o melhor caminho para seguir em frente, porque senão ficamos para trás e isso nenhum de nós quer que aconteça. Gostamos de estar juntos e caminhar em grupo, identificamo-nos uns com os outros... Também aconteceu um acidente, ao chegar à carrinha o Vasquinho torceu o pé, esperamos que fique bem depressa para nos poder acompanhar na próxima semana.

O GASC em Serralves





Eis o produto final dos frequentadores do Grupo de Autonomia e Socialização em Contexto na sua ida a Serralves. Palavras para quê?